Vai viajar no Ano Novo? Conheça os benefícios de um seguro viagem

Ano Novo chegando e muitos planos surgem ou já foram feitos bem antes. Um deles é aquela tão sonhada viagem para o exterior. Cada detalhe foi pesquisado, programado, revisto e, provavelmente, em novembro ou começo de dezembro tudo já está praticamente certo.

O lugar já foi escolhido, o pacote de férias fechado, hospedagem decidida, todos os documentos em dia, a emissão do passaporte e do visto, passeios programados, aquela passada no médico para um checkup completo, carteira de vacina revisada, malas e roupas compradas, cartão internacional do banco providenciado.

Olhando para o checklist, parece que tudo foi resolvido. E quanto ao seguro viagem? Já entrou em contato com um corretor de seguros para fazer um? Dependendo do país para onde se vai, ele é requisito obrigatório, como os países que fazem parte do Tratado de Schengen, por exemplo.

Mesmo que o destino escolhido não exija uma apólice de seguros para permitir a entrada de estrangeiros, ter um seguro viagem vai muito além de obrigatoriedades e também deve fazer parte da lista de coisas a fazer com antecedência.

Quer saber porque ter um seguro é a garantia de poder aproveitar uma melhor viagem? Então continue lendo e conheça as vantagens que envolvem o contrato.

 

Privilégios de quem tem um seguro viagem

Existem as coberturas básicas do seguro viagem, conforme estipulado pela Susep, Superintendência de Seguros Privados, para ter a certeza de que todos os itens estão inclusos, é importante ler com atenção as cláusulas do contrato e durante a viagem, ter uma cópia.

Para essas horas, ter o suporte de um corretor de seguros experiente faz uma grande diferença. Esse profissional irá indicar os melhores planos e tirar todas as dúvidas, adequando as coberturas ideais ao tipo de viagem.

É conveniente lembrar que quem planeja praticar esportes radicais durante a viagem, precisa contratar um seguro específico, que costuma ter uma valor maior do que um seguro básico.

Por isso, ao solicitar orçamento com o corretor, informe exatamente o motivo da viagem, isso porque a falta de informações pode resultar na negativa da indenização por parte da seguradora.

Quem contrata o seguro com as coberturas básicas, pode solicitar auxílio da seguradora para os seguintes sinistros:

 

Garantia de atendimento médico, hospital e odontológico

Claro que ninguém pensa que vai precisar de um médico durante uma viagem de férias, mas sabendo que os custos com esse tipo de serviço são bastante altos no exterior, a relação custo-benefício de um seguro vale muito mais.

Para ter uma ideia, um dia de internação nos Estados Unidos custa, em média, 12 mil dólares e se for preciso fazer uma cirurgia, esse valor ultrapassa os 25 mil dólares. Com base no atual valor do dólar, uma simples apendicite pode sair bem cara.

Outro exemplo é o atendimento odontológico, que pode ser maior que mil dólares para que não tem seguro. Se o tratamento dos dentes está em dia, pode ser que não seja preciso procurar um dentista, porém é bom ter esse respaldo financeiro da seguradora se um problema desses acontecer.

 

Indenização por atrasos, danos e roubo de bagagem

Outro imprevisto que ninguém quer ter, mas infelizmente pode acontecer, é a companhia aérea extraviar a bagagem ou despachar em um voo diferente. Uma situação bastante inconveniente, que atrapalha qualquer viagem.

Com a contratação de um seguro viagem, que inclua a indenização de bagagem nesses casos, o segurado pode receber ressarcimento para atrasos na entrega após as primeiras 24 horas e um valor maior, que cubra o total do prejuízo, conforme o plano contratado.

Essa cobertura também será bem útil para quem precisa transportar objetos mais sensíveis, como instrumentos musicais, materiais fotográficos, entre outros. Por isso, mais uma vez, é essencial falar com um corretor e explicar os motivos de precisar de um seguro viagem.

 

Reembolso Cancelamento ou Atraso de Viagem

A viagem foi programada, mas um imprevisto resultou em cancelamento ou atraso. Perder o dinheiro investido em passagens é muito ruim. Entre alguns motivos para isso acontecer, estão:

– Doença, internação, morte do segurado ou de um familiar;

– Pendências legais do segurado;

– Demissão laboral ou cancelamento das férias;

– Perda de documentos necessários para a viagem;

– Acidente a caminho do embarque;

– Incorporação a um novo posto de trabalho;

– Prejuízos graves à residência ou local de trabalho do segurado;

– Período de Quarentena;

– Declaração de zona de catástrofe no destino da viagem.

 

Indenização para Invalidez permanente total ou parcial durante a viagem

Estão cobertos acidentes pessoais ocorridos durante a viagem, que resultem em invalidez permanente, total ou parcial, causando impotência funcional definitiva de membros ou órgãos.

 

Cobertura por morte ou morte acidental em viagem

Pensar em contratar um seguro para cobertura por morte em viagem é algo que ninguém pensa em fazer, entretanto estar segurado é sinônimo de prevenção.

Dentro dessa cobertura está a indenização do valor estabelecido em apólice para os gastos com translado do corpo, incluindo liberação e transporte até a residência do segurado. Igualmente, cobre gastos com o funeral.

 

Faça seguro com quem entende de seguros

O sucesso da viagem de Ano Novo depende mesmo de todos os detalhes, especialmente escolher bem quais empresas serão responsáveis por garantir isso.

Quando se fala em seguro, o melhor é escolher uma corretora de seguros que possui uma experiência de quase  20 anos no mercado e corretores profissionais e bem treinados para orientar o plano ideal para a viagem sair conforme o planejado, e se não sair, a corretora está pronta para ajudar.

Antes de viajar, fale com um corretor da Ransom Corretora de Seguros.

8 Dicas de Seguro Viagem

Ter um seguro viagem garante que a sua viagem seja a mais tranquila possível, mesmo se acontecer algum imprevisto como acidentes, que exijam atendimento médico imediato ou a locomoção emergencial do segurado, por exemplo.

Claro que ninguém planeja uma viagem pensando que vai sofrer um acidente, precisar de uma emergência ou voltar antes do programado, porém já se sabe como são altos os gastos internacionais para esse tipo de coisas e como pode ser estressante resolver determinadas ocasiões.

Através do seguro viagem, a seguradora vai garantir a indenização e proteção em diversos problemas que possam surgir, dando toda a assistência que o segura precisar, auxiliando até mesmo em extravio de bagagem e perda de documentos.

Antes de contratar o seguro, é importante estar atento a detalhes que vão influenciar muito. Continue lendo, que separamos 8 dicas que vão fazer diferença na sua viagem:

 

  1. Contrate com antecedência

Contratar o seguro bem em cima da data da viagem pode ser mais complicado e ainda encarecer o preço. Os valores, que são cotados de acordo com o valor do dólar vigente, mudam de uma hora para a outra.

Algumas seguradoras até contratam na hora do embarque, porém é preciso confirmação do pagamento antes de ser aprovado o seguro e outras podem levar um tempo maior, de 2 a 3 dias, para ativar o seguro depois da compra.

Como não é possível contratar o seguro quando já estiver viajando, então o mais recomendado é resolver isso com, no mínimo, uma semana de antecedência.

 

  1. Defina as datas exatas de cobertura

Quando preencher essa informação para a contratação do seguro, coloque exatamente a data e hora do dia de embarque no país de origem e, igualmente a data e hora do desembarque, também no país de origem.

Algumas coberturas envolvem atraso de companhia e perda de bagagem, então será interessante ter sua viagem coberta logo no começo, para acionar a seguradora se algo assim acontecer.

Também pode ser interessante acrescentar dois a três dias a mais da data de desembarque, para se prevenir de atrasos com as companhias aéreas ou outros problemas, em que precise estender esse período.

 

  1. Avalie as coberturas

Antes de assinar o contrato, tenha conhecimento de todas as cláusulas e tudo o que o seguro cobre. Procure saber de todos os pormenores, porque fica mais fácil procurar a seguradora diante de um imprevisto se souber com o que exatamente pode ser ajudado.

É um pouco complicado, mas quando planejar a viagem, pense em todas as possibilidades e escolha a seguradora cuja apólice tenha mais a ver com elas. Quanto mais completa for, mais apoiado o segurado vai estar.

 

  1. Pesquise sobre as exigências do país de destino

Pesquise sobre qual o seguro mais adequado para o lugar onde está pensando viajar. Cada país tem suas leis e exigências para receber estrangeiros. Em relação a seguros, um exemplo são os 26 países europeus que fazem parte do Tratado de Schengen, que torna obrigatório a contratação de um seguro viagem no valor mínimo de € 30 000.

Esse seguro é exigido, porque esses lugares querem ter a certeza de, que se o turista precisar de atendimento médico ou outra assistência, ele terá como arcar com as despesas necessárias.

Os países que assinaram o Tratado são Alemanha, Estônia, Itália, Polônia, Áustria, Finlândia, Letônia, Portugal, Bélgica, França, Lituânia, República Checa, Dinamarca, Grécia, Linstenstaine, Suécia, Eslováquia, Holanda, Luxemburgo, Suíça, Eslovênia, Hungria, Malta, Espanha, Islândia e Noruega.

 

  1. Leve o contrato do seguro na viagem

Com a obrigatoriedade do seguro nesses países, será exigido a apresentação dele na imigração. Por isso, ao fazer as malas, coloque a apólice como item de necessidade básica.

Do mesmo jeito, mesmo tendo lido todas as cláusulas e estando a par de tudo, é bom ter como consultar novamente o seguro para verificar se a seguradora poderá auxiliar em uma situação específica.

Caso a seguradora se negue a ajudar, é possível acionar a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão responsável por controlar e fiscalizar o mercado de seguros.

 

  1. Tenha uma cópia do seguro

Leve o contrato na mala, mas tenha uma cópia também no Brasil, caso precise que alguém desse lado do mapa ajude com as cláusulas do seguro e questões jurídicas.

 

  1. Tenha os números da seguradora a mão

Anote na agenda do celular ou em um lugar de fácil acesso caso precise acionar a seguradora. Isso facilitará bastante em caso de emergência, tanto para o segurado, quanto para quem estiver com próximo a ele na viagem.

Como é aconselhado, se possível, ligar primeiro para a seguradora antes do atendimento médico, ter os números a mão, vai tornar o socorro mais rápido.

 

  1. Consulte um corretor de seguros

Existem muitas seguradoras e, ainda que o seguro saúde tenha sido regulamentado pela SUSEP com coberturas básicas, é bom saber quais são mais adequadas para garantir uma viagem tranquila.

Por essa razão, consultar um corretor de seguros é a solução mais indicada. Um profissional treinado e bem informado para orientar a respeito das diversas dúvidas que o segurado tem a respeito do que o seguro vai cobrir e se estão de acordo com as atividades que serão realizadas durante a viagem.

 

Então, antes viajar, consulte um corretor da Ransom Seguros.

Coberturas de Seguro de Viagem

Programar uma viagem vai além de comprar passagens, reservar um local para se hospedar, pesquisar rotas e tempo de viagem, preparar documentos e arrumar as malas.

Pode até parecer que tudo o que é importante já foi citado, porém viajar sem uma segurança contra prováveis eventualidades é colocar em risco tudo o que se planejou por dias, meses e, em certos casos, por anos.

Contratar um seguro viagem não apenas é obrigatório em certos países, como vai garantir auxílio em diversas situações.

E saiba, que assim como os demais seguros, o seguro viagem tem uma variação de coberturas, partindo das obrigatórias, passando pela cobertura básica, e ainda com aquelas adicionais, de acordo com plano escolhido pelo segurado.

Conheça essas coberturas e quais serão essenciais para garantir uma viagem mais tranquila:

 

Coberturas básicas obrigatórias

Desde 2014, a Superintendência de Seguros Privados, SUSEP, que regulamenta e fiscaliza todos os seguros comercializados nacionalmente, formulou a Resolução CNSP n° 315, e depois reformulada em 2016, sobre “as regras e os critérios para a operação do seguro viagem”, tornando obrigatórias a cobertura nos seguintes casos:

 

Despesas médicas, hospitalares e odontológicas (DMHO), tanto em viagens nacionais, quanto internacionais

O artigo 3°, parágrafos I e II, obrigam a seguradora a indenizar o segurado, conforme o valor contratado, as despesas provenientes de atendimento clínicos que forem precisos durante o período da viagem.

 

Translado de corpo

Em caso de, infelizmente, ocorrer um falecimento, os gastos para o transporte do corpo de onde aconteceu a fatalidade até a casa ou local de sepultamento, é garantido pela seguradora. Sempre lembrando o limite do valor que foi acordado pelo segurado.

 

– Regresso Sanitário

Quando, por algum motivo, o segurado não puder voltar da viagem como passageiro regular e novas despesas precisarem ser feitas para a realização desse retorno. Isso pode incluir ambulância ou voo em avião ambulância, equipe médica,

 

– Translado Médico

O pagamento das despesas para remoção ou transferência até um hospital ou clínica mais próximos do local do acidente ou ocorrência da enfermidade.

 

– Invalidez permanente total ou parcial por acidente

Uma indenização será paga no caso de algum acidente ocasionar invalidez do segurado enquanto estiver no local da viagem. Vale lembrar que os órgãos ou membros devem estar estipulados em apólice.

 

– Pagamento aos beneficiário por morte em viagem

Uma cláusula que ninguém pretende que aconteça, porém se houver morte por causas naturais ou acidentais durante a viagem, os beneficiários constantes na apólice receberão o valor contratado.

 

Enfatizando, a Susep registrou a cobertura de DMHO em viagens para o exterior, como obrigatória para eventos ocorridos por acidente pessoal ou enfermidade súbita ou aguda.

As coberturas de DMHO, regresso sanitário, translado médico e translado de corpo devem ser obrigatórias. Não é permitido contratar somente a cobertura de translado de corpo.

Leia com atenção a apólice e esteja ciente do valor contratado e do que será coberto, sabendo que se os gastos forem maiores, a seguradora não irá se responsabilizar por esse acréscimo.

 

Coberturas adicionais

As seguradoras também oferecem coberturas adicionais, que podem, ou não, constar na apólice. Isso, claro, depende da seguradora e da escolha do segurado. Entre elas estão:

 

– Bagagem

Indenização no caso de extravio, roubo, furto, dano ou destruição, comprovados, respeitando o acordo firmado no contrato.

 

– Funeral

As despesas com funeral podem ser ressarcidas pela seguradora, limitando-se ao valor estipulado pelo segurado, se houver morte durante a viagem.

 

– Cancelamento de viagem

Nada é mais frustrante do que precisar cancelar uma viagem por conta de um acontecimento inesperado. Pior ainda é se as companhias de viagem se recusarem a ressarcir os gastos.

Essa tipo de cobertura irá indenizar o segurado, desde que o valor esteja dentro dos limites contratados, para que o mesmo possa continuar sua viagem tranquilamente.

 

– Cancelamento ou atraso de voo

Isso, sim é algo que faz o sangue ferver. Tudo pronto e por algum motivo aleatório, o voo é cancelado. Como consequência, é preciso arcar a mais com alimentação e hospedagem, o que não estava previsto.

Pois essa cobertura garante o reembolso desse gasto.

 

– Prorrogação de estadia

Precisou ficar um tempo a mais no hotel por causa de um acidente ou doença, o seguro viagem paga ou reembolsa esse tipo de despesa.

 

– Assistência jurídica e pagamento de fiança

Serviço de advocacia, reembolso de fiança judicial e outros assuntos de responsabilidade civil, se acontecerem durante a viagem.

 

– Despesas farmacêuticas e assistência fisioterapia

O primeiro, garante reembolso com medicamentos prescritos pelo médico devido a acidentes ou doença ocorrentes e o segundo, é se houver necessidade de fisioterapia.

 

Existe também a cobertura para roubo, furto, incêndio, raio ou explosão de smartphone ou laptops.

 

Fatores que não tem cobertura

É importante se conscientizar que acidentes ocorridos por fatores de risco, enfermidades ou morte intencional, não estão inclusos na apólice. Ocorrências como suicídio, envolvimento em atos de guerra ou terrorismo ou perturbação da ordem pública, atos ilícitos, acidentes resultantes de irresponsabilidade ao volante e quaisquer outros em que o segurado agiu de forma considerada insensata pela seguradora, são alguns desses fatores.

 

Contrate o seguro ideal

Contratar o seguro certo em que se possa recorrer a um respaldo financeiro nessas situações traz mais tranquilidade.

Para ter certeza disso, consulte um corretor de seguros, que irá indicar quais seguradoras disponibilizam cobertura para suas necessidades. Bem orientado e consciente das cláusulas da apólice, pode viajar sossegado.

Por que fazer um seguro viagem?

Então chega o momento daquela tão esperada viagem! Tudo preparado com antecedência, documentos, roteiro, hospedagem, malas, até mesmo os gastos foram calculados aproximadamente, parece que nada pode acontecer fora do planejado. Mas, e se acontecer?

Mesmo com tudo planejado bem antes é impossível saber quando um imprevisto vai exigir uma saída de emergência, ainda mais se a viagem for para outro país onde, por exemplo, a assistência médica é diferente em cada lugar.

Uma maneira bastante ideal para se precaver de acontecimentos inesperados é incluir nos preparos a contratação de um seguro viagem.

 

O que é um seguro viagem?

Assim como não podem faltar documentos, um seguro deve ser item essencial em uma viagem. Ele terá enorme utilidade diante de um problema como perda da bagagem, um pneu furado ou algum acidente. Uma ajuda muito bem vinda em todos os momentos.

Além disso, o seguro viagem é obrigatório em 26 países europeus integrantes do Tratado de Schengen (Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Holanda, Itália, Islândia, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia, Suíça, Liechtenstein, Bulgária, Romênia, Chipre), que exige a contratação de um seguro com o valor mínimo de € 30 mil euros a turistas para despesas médicas ou óbito.

 

O que o seguro viagem cobre?

Se ainda não está convencido da importância de fazer um seguro viagem veja o que ele cobre:

– Extravio de bagagem: uma coisa muito chata em uma viagem é ter sua bagagem extraviada, para não ficar no prejuízo logo no começo, um seguro garante uma indenização.

– Despesas Médicas, hospitalares e/ou odontológicas (DMHO nacional e internacional): que não aconteça de alguém ficar doente ou sofrer um acidente, mas se acontecer em um lugar em que as despesas médicas são caras é bom ter um auxílio. Se uma dor de dente aparecer, outro caso que ninguém quer, só que é melhor se prevenir.

– Translado de corpo: mais uma situação difícil de planejar na viagem e que pode ter reembolso com o seguro.

– Perda de documentos: uma distração e os documentos são esquecidos no banco da praça, ou caem do bolso em um looping da montanha russa ou pior, um assalto.

– Atraso da companhia aérea: não fique no prejuízo se o voo atrasar, com o seguro essa despesa também pode ser resolvida.

– Cancelamento da viagem: ninguém pensa em precisar cancelar a viagem, porém é bom estar segurado para esse tipo de imprevisto.

Existem outras coberturas, lembre-se de ler com atenção as cláusulas do contrato para saber quais são as coberturas e garantias do seguro.

 

Seguro viagem é somente para viagens internacionais?

Ainda que viajar para outro país seja mais complicado quando se pensa em assistência médica ou suporte para o inesperado, uma viagem nacional não está isenta em ter acidentes e surpresas. Por isso, seja prevenido mesmo estando em solo brasileiro.

 

Como contratar o seguro ideal para sua viagem?

Para decidir qual seguro vai ajudar sua viagem a ter mais tranquilidade e proteção, procure uma corretora de seguros. Um corretor pode indicar o que mais se adequa a seu perfil e à sua viagem.