Seguro para pets

A cena já é bastante comum, um animal tendo um lugar significativo na família. A humanização dos pets tem se tornado uma realidade e ter um bichinho de estimação, ao invés de filhos, é a preferência de 44 famílias, em cada 100, que participaram de pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, o Instituto divulgou outra pesquisa em que 28,9 milhões de lares brasileiros têm, ao menos, um cachorro.

A ligação entre donos e animais é tão forte e tão parecida com a de pais e filhos, chegando a ser até mais, que o Supremo Tribunal Federal (STF) promulgou o Projeto de Lei 542/18, que “estabelece o compartilhamento da custódia de animal de estimação de propriedade em comum nos casos de dissolução do casamento ou da união estável”.

Quem tem essa relação com o pet, investe nas melhores rações, brinquedos, roupinhas, caminhas, coleiras, produtos de beleza, marca semanalmente uma hora para banho e tosa e boa parte da renda vai para cuidados especiais.

E se algum incidente ou acidente acontece com eles, o que fazer? Consultas ao veterinário e tratamentos específicos geralmente são bastante caros, o que pode ser uma situação complicada.

Sabia, que da mesma forma que os humanos, os animais também podem ser protegidos através de um Seguro Saúde, que cobre cães e gatos?

 

Como funciona o seguro para pets

O seguro para pets foi criado com a mesma intenção dos seguros saúde e de vida planejados para os humanos, ou seja, se o seu pet ficar doente, morrer ou causar algum sinistro, a seguradora irá pagar ao dono do segurado uma indenização para custear ou reembolsar os gastos necessários.

Ao contratar, as seguradoras vão exigir o preenchimento de um formulário onde será informado a espécie, raça e um certificado de idade. A imposição dessas questões se dá, porque pode existir diferença de planos e coberturas conforme a idade do animal, sendo basicamente dividido para animais até 8 anos e a partir dos 9 anos.

O que cobre

As modalidades cobertas vão variar muito de acordo com a seguradora escolhida. Por isso, antes de assinar, leia as cláusulas da apólice, se certifique das coberturas existentes básicas e adicionais e quais estão de acordo com todas as necessidades do seu pet. Lembrando que estão excluídas doenças preexistentes.

Entre os tipos de coberturas oferecidas estão:

– Despesas médicas recorrentes de acidentes através de reembolso;

– Indicação de clínicas veterinárias;

– Transporte de emergência;

– Tratamento de emergência;

– Conforme o contrato escolhido, o pet pode ter assistência veterinária completa, com a realização de consultas, vacinas, exames laboratoriais, cirurgias, internação;

– Atendimento veterinário domiciliar;

– Morte por acidente, sendo a seguradora responsável pelos gastos com remoção, funeral e cremação;

– Morte por sacrifício induzido ou lesões;

– Responsabilidade civil, caso o pet tenha causado danos físicos à terceiros, seja em pessoas ou em outro animal ou danos materiais à propriedade;

– Assistência jurídica, se o acidente causado pelo pet resultar em processo judicial, o seguro cobre gastos com advogados, cartórios, entre outras despesas;

– Hospedagem, se o dono ficar doente e não tiver como cuidar do bichinho, a seguradora oferece assistência, incluindo diárias de hospedagem;

– Roubo ou perda, se o seu pet for roubado ou desaparecer, o seguro irá pagar o valor do animal;

 

Qual a vantagem de ter um seguro pet

Avaliando o custo-benefício, vale muito a pena ter um seguro pet. Enquanto uma consulta ao veterinário custa, em média, entre R$ 70 a quase R$ 200, sem calcular atendimento emergencial, cirurgias, entre outros, um seguro para pets custa, mais ou menos, R$ 100, por ano.

Já que animais são imprevisíveis, essa é a melhor forma de protege-los, cuidar e se precaver, evitando passar pelo desespero de não ter como pagar por esse atendimento.

E se o seu bichinho de estimação é realmente membro da família, merece ter tratamento semelhante, com os cuidados indispensáveis e responsáveis inerentes à quem decidiu incluí-los ao convívio familiar.

 

Como escolher o seguro ideal

Escolher a seguradora certa para proteger e assegurar assistência para seu pet pode ser uma tarefa complicada, diante de tantas ofertas encontradas quando se pesquisa na internet.

Imagina ter que entrar em contato com cada uma delas e ler com atenção cada apólice antes de decidir pela mais adequada. Sem falar no risco de não entender corretamente todas e acabar se prejudicando quando precisar acionar o seguro.

O mais indicado é entrar em contato com um corretor de seguros, um profissional treinado e capacitado para orientar o segurado, tirando dúvidas a respeito de todos os processos jurídicos e burocráticos e de qual seguradora tem o melhor plano para atender todas as necessidades.

Fale com a Ransom Corretoras de Seguro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *