O que é previdência privada e qual sua importância?

Quando se pensa em previdência é muito comum associar o significado da palavra à aposentadoria e achar que isso é uma preocupação para quem está próximo dos 50 anos ou mais.

No entanto, planejar o futuro financeiro é um cuidado que se deve ter logo cedo, se possível os pais criarem um plano para os filhos, ainda mais com a situação preocupante do sistema previdenciário brasileiro, que vem movimentando os cenários político e econômico com a urgente necessidade da aprovação de uma reforma, que tende a onerar que se prepara para depender dessa opção financeira no futuro.

Outro pensamento que se deve ter é que o teto da previdência social está em pouco mais de 5 mil reais e se a ideia é viver sua aposentadoria com mais do que isso, é preciso ter em mente outros planos de previdência.

 

O que é previdência privada

A previdência privada nada mais é que um fundo de investimentos a longo prazo, que pode ser considerado um meio para complementar a renda após a aposentadoria e manter os ganhos nos próximos anos, pode ainda ser uma forma de guardar dinheiro para projetos posteriores, por exemplo, a faculdade dos filhos, uma casa, uma viagem ou até mesmo para investir em um negócio.

Existem dois tipos de planos: os fechados, que são oferecidos pelas empresas a seus funcionários e os abertos, feitos através dos bancos, seguradoras ou corretoras e é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão do Governo responsável pela vistoria dos seguros.

No plano aberto, é preciso escolher entre modalidade, tipo de tributação e fundo.

 

PGBL e VGBL

As duas modalidades existentes em um plano de previdência são PGBL e VGBL. Para saber qual deles é o ideal para você é preciso observar como é feita sua declaração do imposto de renda.

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é mais indicado para quem faz a declaração do Imposto de Renda (IR) no modelo completo e quer contribuir com até 12% da renda bruta tributável anual. Na hora do resgate do seu investimento, é possível sacar o dinheiro que investiu pagando a alíquota que imposto sobre o valor total resgatado ou sobre a renda recebida, mais os rendimentos.

Já o VGBL (Vida Garantidor de Benefício Livre) é a modalidade direcionada para investidores que declaram seu IR pelo formulário simplificado ou são isentos. Com ela não dá para abater as aplicações do IR, no entanto o pagamento é sobre o valor dos rendimentos e não sobre o total acumulado.

 

Regressiva e Progressiva

Quanto ao tipo de tributação existe o plano regressivo ou progressivo.

No regressivo, o imposto diminui ao longo do tempo, isto é, em 2 anos está em 35%, de 2 a 4 anos, 30% e após 10 anos de investimento alcança os 10% de alíquota.

O plano progressivo é recomendado para quem pretende resgatar o valor antes dos 10 anos, já que o imposto é fixo em 15% quando for solicitado o resgate.

Fundo de investimento

Qual seu perfil de investidor? Conservador, moderado ou agressivo, Para saber qual modelo mais se encaixa ao seu perfil, converse com um corretor de seguros, que irá orientar sobre qual plano de previdência privada é mais adequado para investir no seu futuro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *