Importância do seguro para equipamento fotográfico

Seja para se tornar um fotógrafo profissional ou apenas pelo hobby de tirar fotos, é preciso investir um certo valor em equipamento fotográfico, que começa com uma boa câmera, lentes, um flash e se estende para notebooks, estes com espaço suficiente para armazenar fotos e softwares de edição de imagens e muitos outros materiais. Agora, já pensou todo esse investimento se perder por um acidente ou por roubo? É por isso que existe um seguro especial que cobre esse material no caso de um sinistro.

Muitos fotógrafos deixam de segurar seu material de trabalho ou por desconhecerem essa possibilidade de proteger o equipamento ou acharem desnecessário fazê-lo por vários motivos, entre eles, o de que é só ser mais cuidadoso, mas usando a velha frase “acidentes acontecem” e sendo materiais delicados usados em fotografia, é melhor estar prevenido. Além disso, há a tranquilidade de poder trabalhar na rua, as chamadas fotos externas, podendo ter fundos incríveis, com uma menor preocupação em alguém esbarrando na câmera e sem arriscar a vida em caso de um assalto.

Pensando no custo benefício, vale bastante a pena, se avaliar o valor de compra do equipamento e quanto é cobrado para manutenção. No entanto, é importante ficar atento aos planos oferecidos pelas seguradoras e aos tipos de cobertura.

Tipos de cobertura de seguro para equipamento fotográfico

Danos Físicos

Para danos ocorridos por acidente, incêndio, queda de raio, impacto de veículos ou em caso de roubo. Esse tipo de cobertura é o mais básico e todos os equipamentos podem ser inclusos no seguro.

Aqui, inclui se houve queda do tripé, se alguém esbarrou e derrubou o equipamento, ou seja, se houver uma batida qualquer que leve à quebra.

Subtração de bens

Vale salientar, que no caso de roubo, cada seguradora irá determinar qual é válido em contrato. Existem alguns riscos que são excluídos como furto simples, desaparecimento inexplicável ou simples extravio.

Exemplificando uma situação, o equipamento foi deixado dentro do carro ou esquecido em algum lugar, mesmo que por pouco tempo e foi furtado, está fora da cobertura. Para ser reconhecido é necessário que tenha sido subtraído sob ameaça ou após arrombamento.

Danos Elétricos

Esse tipo de cobertura, em geral, serve para notebooks, iluminação (também podem ser inclusos no seguro) e demais equipamentos que estejam conectados à rede elétrica. A câmera não costuma ficar ligada à tomada por muito tempo. Os problemas são causados por oscilações de energia, descargas elétricas e curtos circuitos.

Isso pode acontecer normalmente durante períodos de chuvas fortes, relâmpagos, um problema externo de energia. São excluídos os danos causados se houver negligência do segurado para o recebimento de energia.

Danos por água ou líquidos

Um incidente que acontece muito com fotógrafos que fazem trabalho próximos à piscinas, praias, ilhas, enfim. É desesperador ver seu material ser afogado pelas ondas durante uma sessão de fotos na praia ou um escorregão próximo a uma fonte. Faça cobertura do equipamento pensando que isso pode acontecer.

Cobertura internacional

O seu trabalho leva para fora dos limites nacionais? Então, estenda o contrato e leve seus equipamentos segurados para os mesmos sinistros também no exterior.

Perda ou pagamento de aluguel

Uma modalidade de seguro muito útil quando o equipamento principal estiver no conserto, por exemplo, e o fotógrafo precisar realizar um trabalho nesse tempo. Contratar essa cobertura, permite ao segurado alugar uma câmera e a seguradora é quem paga o valor. Para isso, é importante comprovar que existe um acordo formal firmado entre cliente e fotógrafo.

Como fazer o seguro

Depois de decidir quais coberturas estarão seguradas (por garantia, inclua todas), é preciso seguir um passo a passo, estipulado pela seguradora. Normalmente é exigido a apresentação da nota fiscal dos equipamentos, se forem adquiridos no exterior, a nota deve ser do país de origem, e se tiver sido comprada de outra pessoa, a nota deve estar no nome dela e junto uma carta de doação ou documento que comprove a aquisição.

Algumas seguradoras permitem que o contrato seja feito sem o uso da nota fiscal, aceitando um simples recibo ou ainda a foto do equipamento destacando o tipo e número de série para ser orçado e aprovado pela seguradora.

Esse procedimento é necessário para o conhecimento do valor do equipamento, ou no caso das fotos, uma avaliação através de pesquisa pela média do valor, porque o seguro deve ser cobrado de uma porcentagem do total pago pelo equipamento.

Como escolher o melhor seguro

Uma grande dúvida ao fazer um seguro é se a seguradora escolhida é confiável e se atende às expectativas do segurado. A verdade é que ninguém tem muito tempo para ficar pesquisando em cada lugar e avaliando vários contratos.

É válido entrar em contato diretamente com uma corretora de seguros. O corretor irá apresentar quais seguradoras e planos mais se encaixam as necessidades do segurado, garantindo um negócio vantajoso para todos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *